Flora


 

Urze

 

          Ocorre nas variedades Erica scoparia e Erica lusitanica. Ambas ocupam mais de 80 % da área total da Tapada, chegando a atingir em certos locais (Vale da Fórnea, encostas entre Boavista e Celebredo e no Muro Seco) mais de três metros de altura.

          A razão principal do excessivo desenvolvimento das urzes resulta da circunstância de veados e gamos, se alimentarem apenas dos seus rebentos, desinteressando-se destes arbustos quando eles atingem um certo desenvolvimento.

 

Orquídeas

          Das trinta e duas espécies inventariadas por Estácio da Veiga na região de Mafra, treze foram referenciadas no Monumento de Mafra, conforme a sua obra intitulada Orquídeas de Portugal(concluída em 1873, mas impressa apenas no ano de 1886):

 

1. Aceras anthropophora, R. Br.

          Tapada Real, Almada, Ribeiras da Perra, da Laje e do Passo;

 

2. Aceras intacta, Rchb. Fil.

         Também conhecida por Satirião de folhas densas;

         Terrenos arenosos contíguos à primeira lagoa da Tapada Real e no pinhal fronteiro;

 

3. Aceras longibracteata, Rchb. Fil.

         Tapada de Mafra, Vela e caminho para a horta, quase em frente da primeira lagoa;

 

4. Aceras pyramidalis, Rchb. Fil.

         Também conhecida por Satirião menor;

         Ribeiras da Laje e da Perra, Almada e Tapada Real, frequente de Abril a Junho, começando a sua vegetação nos princípios de Novembro;

 

5. Serapias cordigera, L.

         Também conhecida por Erva lingua;

         Terrenos brejosos da Tapada Real, perto da Porta Vermelha, onde floresce em Maio e Junho;

 

6. Serapias laxiflora, Chaub.

         Lugares brejosos da Tapada Real, não sendo contudo vulgar;

 

7. Orchis morio, L. var. b. picta, Rchb. Fil.

         Tapada Real e noutros sítios de Mafra, desde Março até ao fim de Maio;

 

8. Ophrys fusca, Link.

         Também conhecida por Moscardo fusc;

         Dentro e fora da Tapada Real, no caminho para a Ribeira da Perra;

 

9. Ophrys lutea, Cav.

         Também conhecida por Erva vespa;

         Dentro e fora da Tapada Real;

 

10. Ophrys bombyliflora, Link.

         Também conhecida por Erva mosca;

         Desde Março até Maio na Ribeira da Perra, Almada, Tapada Real, e no Brejo, perto das ribeiras da Laje e do Passo, bem como próximo do Vale de Velhas;

 

11. Cephalanthera Xiphophyllum, Rchb. Fil.

         Vegeta à sombra dos pinhais e florestas de Mafra, e quase todo o ano na mata do Jardim do Cerco, na Ribeira da Perra e outros lugares próximos da vila, onde floresce entre Maio e Julho;

 

12. Epipactis Helleborine, Crantz.

         Almada e junto ao encanamento que passa pela segunda lagoa da Tapada Real, em Maio e Junho, e na Ribeira do Passo em lugares brejosos;

 

13. Spiranthes autumnalis, Rich.

         Tapada Real e Ribeira de Ilhas, onde se dá uma forma robusta, geralmente nos exemplares que apresentam quatro raízes tuberosas.