Aro


 

          Joga-se com um aro de ferro com cerca de 8 cm de diâmetro, duas bolas de madeira e uma vara, chamada palheta, de preferência num recinto de terra batida.

          No Jogo do Aro intervêm dois jogadores que tentam, alternadamente, introduzir uma bola de madeira num aro de ferro, afastando, na medida do possível, a do adversário.

          Riscam-se no terreno três linhas paralelas e equidistantes: a primeira constitui a linha contínua do eixo do próprio aro, a segunda é a arraia ou linha do cabo (único limite do jogo) e a terceira é a linha do lançamento.

          O pé do aro é enterrado no solo de modo a permitir a rotação em volta de si próprio.

          A primeira jogada de cada partida é feita à mão. As restantes são efectuadas com a palheta segura, regra geral, pelo cabo e batendo a bola com a superfície mais larga. No entanto, em algumas situações de jogo, em particular quando a bola se encontra mais próxima do aro, pode ser jogada com o cabo e até à mão.

 

 

          Gíria do jogo

 

          Toque em buque: introdução da bola na boca do aro, batendo previamente na do adversário (toque para o qual é necessário o consentimento do adversário)

          Toque de cula: bola introduzida pela parte de trás do aro.

          Emborcada: colocação da bola no primeiro lançamento à mão à boca do aro.

          Anhas: transportar a bola à mão até junto do aro e após cálculo de um comprimento com a palheta, deixar a bola rolar sobre ela.

          Colar: introduzir a bola pela boca do aro.

          Venena: colocação da bola de molde a tapar a boca do aro impedindo o colar do adversário.